Há coisas que só se fazem por ignorância. Subir ao Old Man of Storr (ou quase, parece que parei a umas dezenas de metros do topo) com a Hasselblad, lentes e tripé às costas é um bom exemplo disso. 

Três milhas (uma e meia para cada lado) a caminhar é algo que se faz nas calmas, se o caminho for relativamente plano. No entanto o caminho para o Old Man  of Storr é tudo menos plano. Juntado isso à fraca forma física e peso às costas, temos a receita para umas horas interessantes.

O percurso é cansativo, mas a vista do topo é fantástica. Para evitar os gangues de mosquitos assassinos da Ilha de Skye o ideal é terminar a subida antes das 18h, hora que as multidões de mosquitos acordam e decidem aborrecer todos os seres humanos nas imediações. Dizem os locais que se deve comer alho para afugentar a imensidão de mosquitos. Não tive a oportunidade de testar esta sabedoria popular, mas posso confirmar que repelente de mosquitos da farmácia é inútil.

A passagem por Storr não foi planeada, mas acabou por ser dos locais mais fantásticos de Skye

Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Ilford FP4 125
300mm | ISO 100
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 18 minutos a 21ºC




Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Ilford FP4 125
300mm | ISO 100
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 18 minutos a 21ºC

Copyright © Rui Pedro Esteves 2016 Direitos Reservados

0 Comentários: