O Estuário do Tejo, embora próximo de Lisboa, é um local que desconhecia, e em boa verdade ainda desconheço. Com isto em mente decidi fazer-lhe uma visita.

Existem vários pontos de acesso ao Estuário do Tejo, apontei para o mais próximo e lá fui. Hora e meia depois estava-me a deparar com o principal problema da minha visita, falta de planeamento. Ao chegar verifiquei que para que o Estuário possa ser visitado é necessário um registo prévio na Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira.

Como não tínha feito o registo, não tínha cartão de acesso aos portões exteriores. E sem cartão não se consegue visitar livremente o Estuário. A última porta antes de se chegar a Vila Franca de Xira, estava aberta, mas vai dar ao ponto da EVOA que cobra 12€ por visita ao Estuário. Como já cheguei perto da hora de fecho acabei por não explorar o local.

Mesmo assim passei pelos caminhos internos do Estuário que já mostraram uns ares da sua glória.

Para mais informação sobre visitas ao Estuário do Tejo consulte o site do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.


Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Rollei 80s
150mm | ISO 75
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 13:30 minutos a 20ºC




Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Rollei 80s
150mm | ISO 75
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 13:30 minutos a 20ºC


Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Rollei 80s
150mm | ISO 75
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 13:30 minutos a 20ºC


Hasselblad 500 CM | Carl Zeiss Sonar CF 150mm F4 T* | Rollei 80s
150mm | ISO 75
Pyrocat HD 1+1+100 | 2 inversões a cada 4 minutos | 13:30 minutos a 20ºC


Copyright © Rui Pedro Esteves 2015 Direitos Reservados

0 Comentários: