Finalmente uma Rangefinder. Teve de ser, a curiosidade foi mais forte que o bom senso e o caminho para os locais habituais de venda de usado foi mais uma vez percorrido.

Uma breve pesquisa e uma rápida negociação deu-se o encontro com o simpático Sr Zé. Para além da transacção, houve tempo para uma interessante conversa, sobre quase tudo na fotografia.

Depois veio a grande aventura que estas máquinas proporcionam... Pilhas. A Yashica Electro foi projectada para usar uma pilha de mercúrio de 5.6V. Estando estas pilhas banidas da CE devido ao risco de contaminação que o mercúrio proporciona, arranjar substituto é um desafio. Não existe uma única solução, nem grande consenso pela Internet fora, mas a solução mais comum é juntar pilhas até perfazer 6V e usar assim.

Assim o fiz. Lá consegui encontrar à venda uma CR123A (3V) e duas LR44 (1.5V). Esta combinação, não só atinge a voltagem desejada, como preenche o compartimento à medida. E mais importante funciona!

A experiência de utilização foi fantástica. Estou habituado a SLR e um RF é completamente diferente. Não é necessariamente melhor, mas vale a pena ser experimentado. Uma RF é mais simples de usar, o sistema de foco é mais básico e intuitivo e, na globalidade é uma máquina mais simples. Uma SLR é mais versatil. Neste caso as SLR que tenho também têm a vantagem de poder trocar de lentes.

Quanto à qualidade das imagens produzidas, espero amanhã já poder responder a isso. Os negativos já estão a secar :)

Olympus EP1 | Sigma 19mm f2.8 DN
19mm | ISO 800 | f10 | 1.6s

Copyright © Rui Pedro Esteves 2014 Direitos Reservados

0 Comentários: