Não há muito a dizer relativamente a esta foto. É o que se vê, não tem mensagem escondida. Vale por si só, ou então não vale.

Não sei porque escolhi uma abertura tão pequena, até porque não é habitual usar aberturas abaixo de f11. A Tokina 12-24 f4 perde alguma definição acima de f16 e se formos ao detalhe isso poderá ser visível.

No entanto optei não só por manter, mas também por partilhar esta foto. Gosto do paralelismo das linhas, com a convergência no infinito, da diferença de tonalidade das pedras, dos contentores a espreitarei no limite da foto e da sensação de espaço que transmite.

Canon 1100D | Tokina 12-24mm f4
20mm | 100 | f22 | 1/50

Copyright © Rui Pedro Esteves 2014 Direitos Reservados

0 Comentários: